.mais sobre nós

.pesquisar

 

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A relação entre os pais d...

. A mãe que nada faz!

. Pôr o bébé a arrotar

. Um colo vazio . . .

. O papel do papá!

. Dizem os antigos. . .

. Chicco outlet

. Os Primeiros Meses da Gra...

. Planear o Bébé

. (Continuação)... onde pod...

.arquivos

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Abril 2009

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Segunda-feira, 12 de Novembro de 2007

O papel do papá!

 

Há anos atrás, o papel do homem na gravidez da mulher resumia-se apenas em fazer o bébé e

 tudo o resto era um assunto tabú em redor da esposa.

 

 

 

GRAÇAS A DEUS QUE HOJE EM DIA JÀ NÃO É ASSIM!

 

 

Os nossos papás tentam ser uns senhores á maneira e interessam-se cada vez mais pelo assunto.

Leêm, estudam, participam nas consultas, fazem perguntas e tentam estar ao lado da mamã.

 

Parabéns então pela vossa iniciativa!

 

Para além do óbvio, a gravidez é vivida de modo diferente entre o casal e muitas vezes um inicio de gravidez não é sinónimo de alegria , mas sim um inicio de muitas discussões.

 

As mulheres ficam tristes e não percebem a razão de tal agonia, uma vez que   tinham planeado

a dois esta nova vida.

 

Deixo-vos aqui o meu concelho:

 

Falem bastante e não se sintam acanhados pelos os vossos receios, por mais estúpidos que vos possam parecer.  A verdade é que existe sempre muita ansiedade e muito medo quando se sabe que vem ai um bébé, principalmente quando é o primeiro.

Há imensas dúvidas que nos surgem e o  importante é falarem sem discutir e sem criticar.

Muitas vezes temos a tendência a negligênciar os nossos sentimentos e achamos que estes não tem razão de ser, mas a verdade é que se não houvesse uma razão eles não existiriam!

 

Nós também passamos por isso.

Tinhamos medo de tudo, de como iria correr a gravidez; se o bébé teria alguma doença; se o bebé gostaria de nós; se seriamos capazes de o entender; se seriamos capazes de ser bons pais; de como seria o parto; onde é que iria ser; se o médico iria estar presente; etc...etc...

Sempre falamos muito e acho que foi a nossa sorte, senão tinhamos dado em malucos.

 

E como se não chegassem os nossos medos intimos, havia sempre alguem que tinha má histórias para contar, porque porque incrivel que pareça as pessoas gostam sempre de contar histórias de azar e nuncam contam coisas boas. Eu ouvia e chorava quando estava sózinha.

 

Começamos a perceber o mal que estavamos a fazer ao bebé e a nós também ao ouvirmos estas coisas e começamos a proteger-nos destas conversas.

Sempre que alguem tentava começar, mudavamos imediatamente de assunto ou faziamos entender que não estavamos a gostar da conversa . Quando eram noticias na televisão mudavamos de canal e nas revistas de especialidade passavamos as reportagens de doenças para a frente.

A questão aqui não é ignorarmos as coisas, mas sim afastarmo-nos de situações que nos causam medos e angustias. A verdade é que se alguma coisa tiver que correr mal, infelizmente irá correr e ai teremos todo o tempo do mundo para nos preocuparmos e ler sobre o assunto.

 

A atitude positiva é a melhor arma para proteger o bebé!

 

Voltando ao assunto. . .

 

O papel do pai é muito importante na gravidez.

 

Para além do apoio insubstituivel ao lado da esposa, este contacto faz com que se comecem a criar laços muito intensos com o futuro bebé.

Enquanto as mulheres já tem estes laços fortalecidos pelas hormonas,  pela voz, o mexer do bébé; o papá vai ter que trabalhar nesse sentido.

 

Percebam uma coisa; os papás tem medo e coitados tem razão para o ter. Passam a ter de repente uma mulher diferente em casa, elas choram por tudo e por nada, elas tem enjoos, elas desejam a meio da noite coisas esquisitas para comer, elas estão mais irritáveis, elas começam a ter uma barriga enorme, elas tem toda a atenção do mundo e todas as pessoas falam com elas, e a eles restam-lhes as obrigações de proteger a esposa e a cria, carregar sacos, afastar os medos, participar nas consultas e parto e raramente alguem lhes pergunta como corre a sua gravidez!

 

E isto era muito bom que acontecesse para não se sentirem rejeitados no seu papel de pai, não só durante a gravidez como tanbém depois do bébé nascer.

 

CONTINUA....

 

 

 

tags: ,
publicado por maria às 12:46

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito